Monja Coen: Comunista ou Budista?

Sidarta Gautama, Buda, legou à humanidade cinco preceitos muito simples de serem seguidos, principalmente por monges ordenados: a) não matar; b) não roubar; c) não mentir; d) não ter má conduta sexual; e) não se entorpecer com álcool ou droga. Karl Marx, comunista, responsável por conduzir ideologicamente os regimes russo, chinês, vietnamita, norte-coreano, cambojano, leste-europeu, latino-americano, africano e afegão a aniquilarem aproximadamente 150 milhões de pessoas do mundo, certamente não poderia ser budista. Monja Coen parece discordar.

A Epítome Ontológica Universal
Paramentada com apetrechos característicos da militância petista, Monja Coen parece ter largado a doutrina iluminada de Buda para idolatrar um Bodisatva diferente: Luiz Inácio, comunista do Partido dos Trabalhadores - PT, preso por matar, roubar, mentir, ter má conduta sexual e se entorpecer com álcool e droga.

Luiz Inácio, talvez não materialmente, muito provavelmente está envolvido no assassinato de Celso Daniel, incluindo testemunhas, alguém que tinha capacidade de denunciar o projeto de perpetuação no poder pelo Partido dos Trabalhadores - PT. Conforme a doutrina budista: a) não matar.

Já condenado em todas as instâncias judiciais, Luiz Inácio roubou patrimônio público através de esquemas de corrupção e lavagem de dinheiro. Monja Coen nesta imagem estava em frente ao prédio da Polícia Federal (onde o ex-presidente está preso), protestando contra a tirania do sistema democrático e pedindo a soltura do bandido inocente. Contraditório? Certamente algum Chakra desta budista abriu pela culatra: b) não roubar.

Imagine uma Nação inteira, engolindo goela abaixo, durante 16 anos, todas as mentiras maquiavelicamente elaboradas pelos petistas, certamente sob ordens expressas de Luiz Inácio e correligionários, dentro e fora do país, através de campanhas para manutenção do subdesenvolvimento do Brasil de maneira sistematizada. Monja Coen também mente algumas vezes, principalmente quando espalha boatos pela internet (link) acerca da Poder Judiciário e falta de legitimidade estatal para condenar seu Bodisatva comunista: c) não mentir.

Aquilo que acontece na vida do casal somente lhes interessa. Contudo, tratando-se do ex-presidente, figura pública de grande notoriedade, parece que sua relação com mulheres não foi exemplar, embora não exista muita coisa sobre isso. Já Monja Coen por outro lado, segundo suas próprias confissões, mantinha um estilo de vida digno de Woodstock, cujo lema remete a sexo, drogas e rock n' roll. Certamente isto faz parte do seu passado, mas como ela parece recair noutros pontos da doutrina budista, talvez precise recordar: d) não ter má conduta sexual.

Quase todos os brasileiros sabem que Luiz Inácio é alcoólatra. Quando estava no sindicato dos metalúrgicos, gazeando a prisão decretada pelo Juiz Sérgio Moro, camaradas do partido simplesmente não aguentavam o cheiro de aguardente (nome mais sutil para cachaça) que exalava enquanto o ex-presidente proferia palavras confusas contra a democracia (link). Monja Coen, pelo visto, também confunde o Nirvana de Buda com aquele Nirvana de Kurt, dizendo ela uma vez que costumava entrar em estados alterados de espírito via cannabis sativa: e) não se entorpecer com álcool ou droga.

Este Enquirídio não tem qualquer intenção de diminuir a doutrina budista. Muito pelo contrário! Através desta postagem é possível perceber que monges ordenados também podem ser políticos subversivos ao se desviarem do próprio legado búdico que deveriam proteger e praticar como exemplo aos seguidores da religião. Monja Coen certamente possui qualidades que merecem destaque, inclusive a forma como manifesta sua indignação. Contudo, tomara que lhe recaia a iluminação necessária para manifestar-se do lado certo na próxima oportunidade.

0 comentário(s):

Postar um comentário