Estar ou Ser Consciente?

Existe uma enorme diferença entre estar e ser consciente. Num determinado momento, ou seja, dentro de um espaço finito de tempo, é possível compreender a consciência como o conjunto de todos os conhecimentos capazes de definir tão somente o próprio espaço dimensional sem influenciar, direta ou indiretamente, os limites alheios. Se for possível à alguém manter esta percepção numa constante sem quaisquer variações, independentemente de qualquer situação hipotética aventada nos planos da existência, este sequer existirá.

A Epítome Ontológica Universal
Parece confuso, mas tudo pode ser explicado de uma maneira diferente, pois assim funciona a racionalidade contextual humana, agrupando e separando referências. Desta forma, imagine que tudo que existe neste plano materializado está conectado por uma imensurável teia, cujos nós, ou seja, os pontos de conexão, são seres detentores de vida.

Agora pense que se um destes nós simplesmente quisesse abandonar o seu próprio lugar, ou seja, deixar de lado seu propósito existencial (rompendo com o resto), toda teia sofreria igualmente a consequência, embora de maneiras diferentes a depender do ponto de conexão (por alguns ser mais ou menos próximos).

Se você é alguém que busca a consciência, pense sempre no exemplo da teia e imagine o seu exato contexto vivencial e se pergunte: minhas ações influenciarão tão somente a mim? Para tanto, basta trilhar toda a trajetória das reações desencadeadas pelo movimento pretendido e tirar as próprias conclusões conscientemente, assumindo tudo que a ele esteja vinculado, seja bom ou ruim. A grande limitação humana é fazer isso sempre (a cada instante).

Como a compra de uma simples roupa pode influenciar negativamente a vida de alguém no outro lado do planeta? Observe que a fabricação de uma camiseta, por exemplo, foi realizada por um dos funcionários de uma fábrica chinesa que os mantém em regime de escravidão, cuja liberdade lhe foi tomada em proveito de uma ascensão econômica rápida. A saúde daquele trabalhador decresce na proporção em que fabrica cada vez mais peças, pois não recebe sequer a assistência necessária para continuar produzindo. Dentro do Brasil (ou de Portugal, por exemplo), determinada rede de lojas de moda resolve adquirir tais produtos por serem muito mais baratos do que aqueles oriundos de empresas regularizadas, onde trabalhadores exercem suas funções de maneira legalizada. Neste ponto, praticamente todo consumidor observa o item desejado e o adquire crendo estar fazendo uma ótima aquisição. Talvez tenha feito por um preço mais acessível (ou não). Entretanto, independentemente desta relação comercial, será que tudo aquilo que é oferecido em termos de bem material (ou mesmo imaterial) procede de uma boa interação com a teia? Quais seriam os seus reflexos em curto, médio e longo prazo?

Dentre os principais problemas da atualidade, ausência de pensamento é um dos que mais assolam as pessoas em sua totalidade, independentemente da região em que estejam habitando, uma vez que esta teia interage indistintamente com tudo aquilo que existe ou poderá existir. Por quê? Imagine que todos estejam continuamente causando reações desastrosas por apenas não se dedicarem alguns segundos ou minutos para pensarem nas consequências de seus atos, desde os menores até aqueles realmente grandes, sejam por um curto ou longo período de tempo.

Utilizando o exemplo da compra de uma simples roupa, perceba que um pequeno ato pode perpetuar uma condição terrível para um grupo maior de pessoas, quando aquela aquisição representa, embora no outro lado do planeta, uma perpetuação do trabalho escravo. Você pode questionar: como eu poderia saber que isto está acontecendo? Infelizmente, desconhecer a procedência é outro hábito atual de uma sociedade tão somente preocupada com suas "pseudo-necessidades" de consumo, decorrente da hiper-valorização material provocada por anúncios, merchandising, marketing etc.

Estar consciente não exige muito. Por exemplo: um engenheiro pode estar consciente de que aqueles cálculos levarão uma locomotiva deslizar sobre os trilhos a uma velocidade exata se determinada condição for implementada. Este tipo de pensamento racional é inerente ao intelecto, capaz de acumular informações provenientes de diversas experiencias vivenciadas. Contudo, não é somente este tipo de consciência isolada que existe nas interconexões da teia. Certamente, uma emanação mental/material pertence ao todo desta inter-relação, embora não configure a sua essência.

A Epítome Ontológica Universal
Ser consciente é se conectar à teia de forma lúcida, ciente de todos os atos praticados, pois mesmo aquela ação mais inercial, proveniente talvez de um hábito, também exercerá influência no plano geral. Neste sentido, tudo aquilo que alguém faz interfere, de uma forma ou de outra, na vivência como um todo, desde um inseto até o homem. Evidentemente que muitos somente enxergam vida em seres evoluídos como o humano - e aqui cabe uma indagação sobre quem evoluiu mais: aquele que anda ereto, mas degrada o próprio habitat, ou; aquele que rasteja, porém em harmonia com todo ecossistema? Consciência não é algo para que todos digam "eu sou", quando apenas "estão".

Consciência, para que se possa dizer "eu sou", é dependente deste conhecimento sobre a teia, essencialmente acerca do que suas ações estarão causando quando forem desempenhadas. Será que são benéficas ou posso causar algum mal em curto, médio ou longo prazo? Imaginar a situação se desdobrando levará o pensamento a conhecer as lacunas de toda interação, obrigando-o a buscar informações para preenchê-las. Neste ponto, pense que aquela roupa está custando um ótimo preço. "Ok", mas qual o custo real? Quem estou beneficiando com a aquisição e quais reflexos negativos podem ocorrer desta relação de consumo? Será que a loja está adquirindo produtos de fábricas que mantém seus funcionários sob regime de escravidão? Sabendo que aquela empresa é conivente com a degradação do meio ambiente e dos seus semelhantes, pergunte-se: meu desejo em possuir aquele bem é maior do que a preservação da natureza e bem estar de outros homens, mulheres e crianças?

Felizmente, existem formas de adquirir conhecimento na internet para buscar esta consciência que a teia revela. Uma delas é através de documentários que geralmente são exibidos em plataformas de locação coletiva como o Netflix. Dentre vários, destaca-se The True Cost (link para o trailer), principalmente por apresentar a real dimensão de uma simples ação, tendo como exemplo o mercado da moda. Outra maneira de buscar "ser consciente", em nível prático, baseia-se em encontrar dados sobre aquilo que você faz. Ainda sobre as confecções, é possível descobrir pelo Moda Livre (link para o aplicativo) qual empresa mantém conexões com trabalho escravo. Estas soluções são apenas exemplos de como resolver estas lacunas, geralmente encontradas no processo de descobrimento anterior a tomada de uma atitude, independentemente do tipo de ação promovida, seja ela uma compra, negociação, venda etc. Encontrar aquilo que preencha estes espaços formará uma visão conscientizante, fazendo com que quem quer que seja passe de uma condição temporária de "estar" para algo mais amplo, repetidamente para todos os atos até poder dizer "eu sou".

0 comentário(s):

Postar um comentário