Nem no Futuro, Nem no Passado

Talvez a ausência de consciência acerca do presente seja um dos maiores problemas que circundam as pessoas na modernidade pós virtualização. Embora os pesquisadores ainda não tenham desenvolvido métodos para viajar no tempo, parece que tal limitação científica não foi capaz de impedir aqueles que perambulam entre o passado e o presente, nutrindo em si próprias sentimentos de nostalgia e expectativa, mesmo que carregados de rancores e ansiedades, acarretando doenças mentais aparentemente não solucionáveis, apesar do remédio ser acessível e gratuito.

A Epítome Ontológica Universal
Mesmo um Delorean do filme De Volta para o Futuro não seria necessário para se viajar no tempo, pois maior parte das pessoas atualmente já fazem isso, salteando entre tempos (como John Carter Entre Dois Mundos, outro longa metragem), pouco importando o momento presente, aquilo que acontece agora.

Num instante, revivem acontecimentos já transcorridos, promovendo saudades, recordando frustrações e nutrindo lembranças, por vezes, nocivas; noutro momento, idealizam ocasiões, criando expectativas sobre questões que ainda poderão (ou não) se revelar, sofrendo, quem sabe, antecipadamente.

Conhecer o passado e projetar o futuros são duas coisas completamente diferentes de se tentar viver por meio deles. Quando alguém observa a história para não repetir os erros já cometidos ou junta dinheiro para enfrentar a época das "vacas magras", há um espaço-tempo bem delimitado separando aquilo que foi e aquilo que será. Doutra maneira, trazer questões passadas ou idealizações futuras ao presente prejudicará este discernimento temporal, causando sérios problemas.

Dentre os principais problemas do século 21, talvez a depressão e a ansiedade sejam os mais evidentes. Lógico, pois são poucos os que valorizam o aqui e agora. Estar depressivo é uma condição daqueles que se amarram ao passado enquanto que estar ansioso é outra condição daqueles que se lançam no futuro, porém sem levar em consideração o presente. Desta forma, toda a vida parece fugir diante dos próprios olhos, pois o momento mais importante está sendo despercebido. Por tal razão é que nenhuma máquina do tempo precisa ser projetada - isto é nato do homem.

Somente aquietando a mente no presente será possível ir e vir do passado ou futuro sem sofrer consequências, decidindo quando é realmente necessário fazer tais viagens com total controle sobre o rumo do pensamento. Não é fácil viver no agora, mas o primeiro passo é tomar consciência de que não se pode estar em dois lugares ao mesmo tempo e que a vida ocorre onde se está e não onde se esteve ou onde se estará. Esta é a cura de toda depressão, frustração, decepção, ansiedade, angustia, aflição: preservar-se mentalmente no aqui e agora.

0 comentário(s):

Postar um comentário