Manual da Jornada do Eremita Virtual

Anteriormente ao advento da internet, o acesso ao ocultismo no Brasil era bastante restrito. Naquela época, somente membros de sociedades secretas (ou discretas) e pessoas que dominavam o idioma inglês (e que podiam pagar pela importação de livros) obtinham melhores fontes de conhecimento sobre o tema. Atualmente, em plena Era da Informação, o maior problema advém exatamente do excesso de dados sobre quase tudo que um dia fora inacessível (ao menos para a maioria). Entretanto, alguns blogs dispõe de dicas importantes para que você não entre numa verdadeira cilada ocultista.

No blog Tudo Sobre Magia e Ocultismo, há um Guia de Sobrevivência Ocultista na Internet, com oito tópicos breves, para que o buscador não "caia em mãos erradas". Seu conteúdo se situa na Coluna da Mão Esquerda, de acordo com a classificação meramente didática deste Enquirídio, que com a devida permissão do autor (visível nos comentários daquela página), valer-se-á de sua postagem no intuito de incrementar as advertências, adicionando outros quesitos essenciais à jornada do eremita virtual.

A Filtragem

Esta é a regra norteadora basilar para a jornada do buscador. Não existe um método infalível de se ponderar uma informação ocultista, mas há pistas que devem ser observadas antes de realizar experimentos reais, sejam estes de origem física ou mental. Nem tudo que carece de referências bibliográfica é irrelevante - longe disso! Inúmeros artigos com citações de obras importantes são simplesmente deturpações literárias, portanto, desprovidas de qualquer valor. Acontece que esse processo de seleção de dados é extremamente íntimo e requer o máximo de ponderação, principalmente através das vias da percepção intuitiva - adquirida ao longo do tempo.

É possível encontrar ótimas obras ocultistas por preços razoáveis em qualquer livraria do país. Talvez um título ou outro não esteja disponível, mas para quem não está procurando nada em específico, basta reservar uma tarde para se debruçar com o máximo de livros que conseguir para escolher aquele que parecer melhor ponto de partida. Pesquise um pouco sobre o autor. Conheça quem será seu guia inicial. Entretanto, saiba que ninguém detém todo o conhecimento, pois a busca é um processo constante.

A Incredulidade

Ser incrédulo (ou "cético", conforme o Guia de Sobrevivência Ocultista na Internet) é apenas uma medida para regular os seus próprios sistemas de filtragem. Isto não significa ter que desconfiar ou mesmo rejeitar todas as informações que lhes são apresentadas. Mesmo que a maior santidade do planeta tenha lhe dito algo, é necessário jogar todas essas informações no filtro para realmente ter certeza de que aquele dado é útil. Acontece que diversos ocultistas se servem de títulos de Ordens Iniciáticas para sustentarem suas afirmações, como se fossem os donos do conhecimento - e como se sabe, este jamais será detido por um único ser, por mais extraordinário que seja.

Já ouviu a expressão "corra como o cão corre da cruz"? É exatamente isto que você deverá fazer ao se deparar com "semideuses" do conhecimento oculto, que se auto intitulam "sumo sacerdotes" e fazem da sua vida um verdadeiro inferno. Sim, há quem faça disto um meio de vida lucrativo. Contudo, ai vai uma ótima dica: essas pessoas não gostam de ser questionadas e geralmente se irritam profundamente quando têm suas convicções colocadas à prova. Seja sempre prudente e procure levantar questões maduras.

A Parvoíce

Esta não é necessariamente uma regra, mas tão somente uma advertência dirigida a quem não se deixa levar por imbecilidades ou, como dito, parvoíces. O arbítrio que cada um possui deve ser sempre respeitado, mas a ação precipitada por desprovimento de raciocínio é passiva de reprovação.

No ocultismo, é comum se deparar com Ordens Iniciáticas que prometem lhe tornar um mago tão poderoso quanto Gandalf. Toda sorte de rituais mágicos coreografados (e isto não é magia, no melhor sentido da palavra) são revelados na medida em que o aprendiz desembolsa quantias significativas para o fundo monetários destas instituições, por vezes autodenominadas "sem fins lucrativos". Conforme descrito no Guia de Sobrevivência Ocultista na Internet, vários templos online são construídos, embora seu único sacerdote seja o próprio webmaster (administrador da página). Se algo lhe traz um bem, seja intelectual ou espiritual, sinta-se à vontade para realizar doações que possam ajudar o desenvolvimento daquele lugar (virtual ou físico). Contudo, não dê seu dinheiro para quem somente lhe oferece certificados em arquivos digitais. Ao invés disso, compre livros!

O Trabalho

Há um ditado que diz o seguinte: "Deus ajuda quem cedo madruga". É uma referência ao trabalho - e nada neste mundo é realizado senão pelo seu meio. Isto também se aplica a obtenção de conhecimento oculto. Somente através da dedicação o buscador poderá desvendar os seus mistérios mais profundos.

O que mais existe na internet atualmente são páginas vendendo facilidades para ser alguém melhor ou técnicas para acumular conhecimentos mais rapidamente. E não se iluda: nenhum pedaço de papel concedido por quem quer que seja (pode estar assinado pela pessoa mais importante do mundo) substitui a própria experiência. Nenhum buscador que se preze conhecerá o verdadeiro Caminho (com "c" maiúsculo, em referência ao Tao, a Consciência Cósmica) tomando atalhos. Estes são apenas desvios apresentados por pessoas incompletas para desvirtuar os mais ansiosos, cujas mentalidades ainda não se encontram preparadas para aceitarem a Verdade Superior. Como dito taxativamente pelo Guia de Sobrevivência Ocultista na Internet, "você não vai conseguir trocar dinheiro por nada na espiritualidade".

A Idolatria

Talvez você possa pensar que as pessoas que buscam nos conhecimentos ocultistas uma fuga para o doutrinamento religioso estejam imunes a adoração de ídolos. Ocorre que diversos autointitulados mestres ocultistas terminam por fazerem da sabedoria hermética uma nova religião - fanática, por sinal.

Neste sentido, o Guia de Sobrevivência Ocultista na Internet anuncia mais uma grande advertência: "fanatismo é sinal de falta de inteligência". O mais engraçado, por exemplo, em pessoas que adentram em Ordens Iniciáticas e se tornam radicais, é que elas antes disto certamente eram livres. Aliás, a liberdade para refletir jamais deverá ser extinta. Um buscador que procura a plenitude não deve se limitar aos fundamentos das organizações. Aquele que se insere em um sistema deve respeitar as suas regras, mas isto não significa ter que se curvar para quem quer que seja, mesmo que ela seja o "dono da bola". Na postagem Você Está Sendo Formatado Sem Saber deste Enquirídio, é possível compreender o processo de emburrecimento das pessoas em prol dos blocos massivos para o controle das minorias - um complemento para esta advertência.

A Autovalorização

Nenhum título, como dito anteriormente, poderá substituir a própria experiência. É certo que muitas pessoas acabam por supervalorizarem os diplomas em detrimento do que elas realmente compreendem. Diante de conhecimentos ocultos, não há um mestre único e infalível que possa emitir certificados ou ordenar sacerdotes. Isto é um tremendo equívoco - e uma hipocrisia!

É preciso conhecer as Ordens Iniciáticas e os Seus Principais Objetivos antes de postular seus ensinamentos. Mesmo que você esteja apenas iniciando sua jornada em alguma senda mística, nunca poderá se esquecer de quem você realmente é e qual foi a condição que lhe levou àquele determinado lugar. O conhecimento só se torna útil se ele se tornar parte da sua vida, motivo pelo qual não adiante acumular informações em demasia para somente engrandecer o ego. O valor do Ser está em suas ações materiais e imateriais, ou seja, presos numa constante. A autovalorização nada mais é do que perceber que o Eu é o próprio templo. O templário da modernidade é um laboratório alquímico ambulante, capaz de transmutar chumbo em ouro através de sua Pedra Filosofal - e estas informações podem ser confusas, mas serão pormenorizadas numa postagem futura.

A Investigação

A maior parte dos autointitulados mestres ocultistas também possuem perfis em redes sociais, motivo pelo qual é inadmissível ao buscador aceitar alguém como ser divino, detentor de todo o conhecimento, por falta de acesso. Obviamente, você pode admirar alguém ou mesmo simpatizar com a maneira pela qual alguém expõe as informações. Isto é normal e aceitável. Aliás, muitas destas pessoas que fornecem sabedorias herméticas por livre e espontânea vontade disponibilizam meios para serem contatados. A comunicação é uma ferramenta a ser utilizada com frequência no processo investigatório. Esta é a "fórmula mágica" para quem realmente busca a iluminação.

Muitas Ordens Iniciáticas são verdadeiras máquinas de enganação. Mesmo aquelas organizações que possuem personalidade jurídica, o CNPJ, constante como ativo na página da Receita Federal, precisam ser investigadas. Uma dica muito importante: utilize o endereço da sede da instituição no Google Maps e, através do Google Street View, confira se ela realmente existe fisicamente. Observe se existem queixas no site Reclame Aqui ou mesmo se membros postam fotos do local.

O Guia

Muitas pessoas, mesmo as mais "espiritualizadas", tendem a acreditar somente nos vivos, em quem ainda se encontra neste plano material. Não sabem eles que existem mestres ascencionados, cujo legado literário ou audiovisual pode ser perfeitamente compreendido como se ele próprio estivesse em sua frente. Aliás, maioria dos ensinamentos genuínos, capazes de penetrar o âmago do ser, são provenientes de entidades desencarnadas. Pode parecer intrigante, mas há algo muito mais complexo do que isto. Ao compreender a mentalidade de alguém que se encontra num plano superior, você passa a contê-la dentro de si e, a partir de então, ser o seu próprio guia.

Existe ainda outra maneira de se tornar um guia para si mesmo: compreensão dos fatores naturais internos e externos. "Conhece-te a Ti mesmo e conhecerás todo o Universo e os Deuses". Aquele que domina a si próprio é o verdadeiro mestre de o Uno e o Verso (link da publicação em breve). Não trocar a experiência pessoal pela vivência alheia é o guia verdadeiro. A natureza se encarrega de apresentar as lições ao estudante que se dedica de corpo e alma - e isto certamente basta.

2 comentários:

  1. Achei o site devido à uma bisca que no momento não me recordo. Estou num dos períodos aonde a roda de samsara girou e no momento não sei ainda aonde me encontro. Mas encontrei o site e tem sido de uma ajuda imensa. Vou continuar buscando e usando os ensinamentos do Enquirídio que muito nos esclarece! Luz e trabalho!

    ResponderExcluir
  2. Saudações,
    Dominik Alexsander.

    Perder-se é o primeiro passo para quem realmente deseja se encontrar, sendo imensamente gratificante para este Enquirídio poder ajudar com aquilo que sempre dispõe na medida do possível.

    Gratidão pelo comentário,
    Com votos de Paz Profunda,

    Enquirídio
    A Epítome Ontológica Universal
    www.enquiridio.org

    ResponderExcluir